quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Eternamante


Lembro-me, sim, que prometias caminhar até ao fim, comigo, por uma estrada completamente ladeada de árvores de fruto onde cantavam os pássaros que escuto na memória dos dias em que me permiti sonhar um amor genuíno.

Recordo também o destino que lias, cigana, nas palmas das minhas mãos, na cama, enquanto brincávamos com partes dos corpos a sério que transpiravam, pouco tempo depois, numa manta estendida à pressa no chão.
Era para sempre, dizias. Mas aos poucos desmentias pressupostos e acumulávamos desgostos na traição da tua ausência, muitos pesos na consciência que viraste como canhões contra o falso inimigo em que aparentemente me tornei.

Lembro-me que sonhei um dia o filho que te faria, o coração que me cegava e que tudo perdoava, a razão perdida numa discussão que abortava, pela evidência do meu engano, a loucura desse plano desesperado para te prender a mim de alguma forma.

Mas agora deixo que o sonho durma, enquanto finjo que me esqueço, de cada vez que me despeço, a verdade adormecida no encanto do teu olhar que já não reflecte o mesmo amor que me afirmavas nos dias quentes de que me lembro agora.

O sopro gelado de beijos distantes inspira-me um sentimento de vazio. E por mais que nos lembre amantes não consigo combater esse frio.

8 comentários:

medusasss disse...

O que fazer quando tudo acaba? Recomeçar tudo de novo com outra pessoa? Assim, ad aeternum?

Black CatDog disse...

Se necessário for. Porque essencial é sentirmos o amor ao longo do tempo de existência em que o podemos usufruir.
Nada disto implica que possam surgir aqueles romances-arquétipo na vida de uma pessoa.
Mas lá está: só sai a quem joga.

medusasss disse...

Bem... eu ainda jogo no euromilhões, mas mais uma vez, nem numa mísera estrela acerto!
Estou destinada para grandes feitos noutros campos! :)

Black CatDog disse...

Eu acredito em ti, ò destinada. :-)

paula disse...

Olha catdog, vim aqui só para dizer que os teus olhos são....nada! isto são blogs de respeito onde não há lugar a considerações menos impessoais e coisas que tais e etc e etc e etc e tal...
uhmmm... vim mesmo foi desejar te um Feliz Natal cheio de coisas Boas:0)
beijinhos, e dps cá te virei desejar o happy new year.Claro que os desejos de Boas Festas são para os dois:-)
Beijinhos

Black CatDog disse...

Obrigado, pela parte que me toca. :-)
Os meus olhos são instrumentos de prazer, nada menos. Isto, claro, sempre impessoal, quase paleio de oculista.
Reitero o que afirmei, com o respeito que os blogs respeitáveis e as pessoas por detrás me merecem.
Tem um Natal (acima de tudo) Feliz.

Cat in Black disse...

meu querido, haverá sempre alguem para nos amenizar a alma... é só deixares..

Black CatDog disse...

É só deixar?
De repente fizeste-me sentir-me montes de permissivo...